Veja as 10 maiores notas de Montaria em Touros no Brasil

Veja as 10 maiores notas de Montaria em Touros no Brasil

Ganhar uma nota acima dos 90 pontos já foi mais fácil nas montarias em touros. No início do esporte no Brasil (década de 1950), o júri das competições era formado, na maioria das vezes, por personalidades ilustres da cidade onde o rodeio era realizado, por exemplo, o prefeito ou um coronel. Sem critério algum, as notas eram distribuídas e não raro o peão recebia os 100 pontos.

Hoje, chegar a essa marca parece impossível. A explicação está na qualificação dos juízes, que atualmente precisam passar por um curso. Além disso, muitos são ex-peões e sabem bem como funcionam as regras. “A nota é dividida em 50% para o competidor e 50% para o touro”, explica Rubinho Gouveia, juiz de rodeio há cinco anos.

Na prova, leva-se em conta o desempenho do animal. Se ele rodou e pulou com intensidade durante os oito segundos, recebe uma nota alta. Já no caso do atleta, observa-se a postura das pernas, do corpo e da mão de equilíbrio, “que não pode tocar no touro, no brete ou no peão”, conta Gouveia. Com tantos critérios, fica complicado chegar aos 90 pontos. Alguns, no entanto, vão além. Confira as notas mais altas do campeonato brasileiro (Brahma Super Bulls) desde 2006.

Em 2006, o competidor Fabiano Vieira, de Perola (PR), enfrentou o touro Cama de gato, da Cia. Tholinha. A montaria, realizada em Colorado (PR), rendeu ao atleta 94 pontos, a maior nota até o momento.

Dois anos mais tarde, na final da etapa de Guaíra (PR), foi a vez do atual campeão brasileiro, Edevaldo Ferreira, de Andradina (SP), marcar 93,75 pontos com o animal Almanarque, da Cia. Silmar Colombo.

Já em 2011, Rubens Barbosa, de Uberlândia (MG), também alcançou os 93,75 pontos depois de montar Pesadelo, da Cia. 3B. A disputa foi realizada na final do rodeio de Adamantina (SP).

Outro que somou 93,75 pontos foi Luciano César Linares, de Guzolândia (SP). No duelo, enfrentou o bovino Resgate, da Cia TQP, na final da etapa de Altinópolis (SP), em 2006.

Ainda em 2006, Júlio César Rodrigues também marcou 93,75 pontos contra a fera Taça, da Cia. JTS. O atleta de São José do Rio Preto comemorou o feito na cidade de Colorado.

Na sexta colocação, com 0,50 pontos a menos que o quinto está o peão de Pilar do Sul (SP), Fernando da Conceição, na final de Londrina (PR) contra o touro Pesadelo, no ano passado.

Ferreira aparece de novo no ranking na sétima posição, com 93,25 pontos no duelo com Pesadelo. A prova foi realizada na final do rodeio de São José do Rio Preto (SP), em 2010.

Com os mesmos 93,25 pontos, Wesley Lourenço, de Santo Antônio da Barra (GO), vem na oitava posição contra o touro Sarué, da Cia. Jr. Zamperlini, na etapa de Paranaíba (MS), em 2010.

Na final de Jataí (GO), em 2010, o peão de Populina (SP) Elton Cide somou 93 pontos a bordo de Cassununga, da Cia. São José.

Por fim, na décima posição, também com 93 pontos, Fábio Brás dos Santos, de Naviraí (MS) venceu o touro Delegado, da Cia. São José, em Campo Verde (MT) no ano de 2007.

Fonte: site Terra Esporte
Foto: Andre Silva/PrimaPagina